Notícia


CGU declara a construtora Mendes Júnior como 'inidônea'

28/04/2016 08h55 - Atualizado em 28/04/2016 09h17 - Portal G1.com

CGU declara a construtora Mendes Júnior como 'inidônea'

É a primeira sanção desse tipo aplicada a uma empresa alvo da Lava Jato.
Com isso, a Mendes Júnior fica proibida de fazer contratos com o governo.

 
 
CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO, EM UMA PORTARIA PUBLICADA NO "DIÁRIO OFICIAL" NESTA QUINTA-FEIRA (28), DECLAROU A CONSTRUTORA MENDES JÚNIRO COMO "INIDÔNEA". COM ISSO, A EMPRESA ESTÁ PROIBIDA DE FAZER NOVOS CONTRATOS COM O PODER PÚBLICO POR, PELO MENOS, DOIS ANOS.
 
A Mendes Júnior, que se recusou a fazer acordo de leniência (quando a empresa presta informações sobre a investigação para amenizar uma eventual pena), é a primeira construtora alvo da Lava Jato a ser declarada inidônea.
Executivos ligados à construtora foram denunciados após a 7ª fase da operação, deflagrada em novembro de 2014, que investigou irregularidades em contratos da Petrobras com empreiteiras.
 
O processo teve por objeto contratos e aditivos da Mendes Júnior com a Petrobras na Refinaria de Paulínia (Replan), na Refinaria Getúlio Vargas (Repar), no Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), no Terminal Aquaviário Barra do Riacho, na Refinaria Gabriel Passos, e nos Terminais Aquaviários de Ilha Comprida e Ilha Redonda