Notícia


Operação apura fraude em licitações no Ipsemg, diz Polícia Civil

Servidor, que estava em casa, foi conduzido coercitivamente.
Cinco mandados de busca foram cumpridos em distribuidora de remédios.

Uma operação que investiga fraude em licitações é realizada na manhã desta sexta-feira (29) em Belo Horizonte, de acordo com a Polícia Civil. O esquema envolve o Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (Ipsemg) e uma distribuidora e importadora de medicamentos. Quatro pessoas foram conduzidas coercitivamente, segundo o delegado Ramon Sandoli, chefe do Departamento de Operações Especiais (Deoesp).

Um deles é um funcionário do instituto, que atua como pregoeiro em processo licitatórios. Os outros são um diretor e dois funcionários da distribuidora, localizada no bairro Nova Cachoeirinha, na Região Noroeste, conforme o delegado.

O Ipsemg informou que policiais estiveram na casa do funcionário e o conduziram a um dos endereços do instituto, onde funciona um hospital. De lá, foi encaminhado para a delegacia. O Ipsemg informou que a operação é resultante de uma auditoria e que está colaborando com as investigações.

Ainda nesta manhã, uma equipe do Departamento de Operações Especiais (Deoesp) esteve na sede da empresa e saiu sem dar declarações. Policiais deixaram o prédio levando computadores e uma caixa com documentos. Segundo a assessoria da polícia, foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, pessoas que estariam envolvidas foram levadas para prestar depoimento no Deoesp. O G1 entrou em contato com a distribuidora e uma funcionária informou que a empresa não tinha nada a declarar.

A operação é feita em parceria com a Controladoria-Geral do Estado de Minas Gerais (CGE-MG), que não comentou sobre o caso. Por envolver licitações, a reportagem também procurou o governo do estado, que ainda não se posicionou. Os retornos serão incluídos nesta publicação assim que recebidos.